Estudo: 83% das pessoas à escala global utiliza dispositivos quando está na cama

Estudo: 83% das pessoas à escala global utiliza dispositivos quando está na cama

11 Visualizações
0

Um inquérito recente realizado pela empresa de cibersegurança NordVPN revelou que 83% das pessoas em todo o mundo levam os seus dispositivos consigo para a cama. No grupo dos 16 países inquiridos, o México ficou em primeiro lugar, seguido da Itália, dos EUA, do Canadá e da Austrália. Mais de um terço das pessoas usa mais de três dispositivos na cama, enquanto outro terço utiliza apenas um.

Entre os gadgets que as pessoas levam para a cama, os smartphones (88%) surgem em primeiro, seguidos dos televisores (43%) e dos portáteis/computadores (33%).

“Já sabíamos que as pessoas levavam os smartphones para todo o lado. O nosso estudo anterior mostrou que 65% das pessoas em todo o mundo levam até os telemóveis para a casa de banho. No entanto, uma vez que a utilização dos smartphones num ambiente descontraído costuma estar associada ao scrolling, as pessoas estão menos atentas às medidas de segurança online e ao seu comportamento”, diz Adrianus Warmenhoven, consultor de cibersegurança da NordVPN.

Navegar nas redes sociais, consultar o e-mail e ler SMS — estas são as principais atividades que as pessoas fazem na cama

Enquanto a maioria das pessoas (60%) navega nas redes sociais, 58% consultam o e-mail e leem as mensagens de texto na cama. Além disso, quase metade das pessoas (47%) vê vídeos (por exemplo, no YouTube) ou programas televisivos e filmes (43%).

Entre outras atividades, leem ou ouvem as notícias (40%), ou limitam-se a conversar com os amigos e familiares (39%). Um terço também gosta de ver a meteorologia na cama, enquanto outros 31% ouvem música e podcasts.

“A sondagem mostrou que as pessoas consultam muitas vezes os e-mails e as mensagens de manhã, enquanto à noite a maioria utiliza as redes sociais. Quando estão descontraídas, podem não reparar em atividades suspeitas nos dispositivos, como estranhos que tentem aceder-lhes ou mensagens pop-up estranhas que apareçam no ecrã. Partilhar a cama com o seu dispositivo pode levá-lo a partilhar inadvertidamente os seus dados com hackers”, diz Adrianus Warmenhoven.

Mais de metade das pessoas considera que os dispositivos na cama afetam negativamente o seu sono

A maioria das pessoas (89%) utiliza os dispositivos na cama à noite. Por isso, não é de estranhar que mais de metade (56%) ache que eles afetam negativamente a qualidade do seu sono. As emoções negativas também podem ser causadas pelo facto de mais de um terço (39%) navegar muitas vezes na internet ou ler notícias negativas — o que também é conhecido como “doomscrolling”.

Por outro lado, quase metade da população mundial (47%) acha que perde tempo ao fazer scrolling na cama, em vez de dormir. No entanto, é raro fazerem alguma coisa para mudar a situação.

Além disso, um quarto dos inquiridos também confessou usar os dispositivos quando partilha a cama com um parceiro. Os mexicanos, australianos e britânicos tomam a dianteira aqui, com metade da população habituada a descontrair com os dispositivos na cama ao lado do parceiro.

Um terço da população mundial utiliza o modo de descanso

Apesar de um terço da população utilizar o modo de descanso, nem todos conseguem desligar-se por completo: 37% das pessoas acham que passam mais tempo com os dispositivos à noite do que pretendiam. No entanto, 46% acham que gerem bem o seu tempo e que passam o tempo desejado com os seus dispositivos.

“O paradoxo do modo de descanso é fascinante. Embora se destine a promover hábitos tecnológicos mais saudáveis, muitos acabam por ficar a navegar na internet mais tempo do que pretendiam. Isto não só afeta o seu sono, mas também os expõe a riscos de privacidade. A navegação noturna pode levar a decisões impulsivas, como gastar demasiado dinheiro ou deixar-se influenciar por anúncios enganosos”, diz Warmenhoven.

Lembrete para que as pessoas passem momentos cibernéticos mais tranquilos na cama

Pode ser agradável utilizar o smartphone ou um computador na cama, para fins de trabalho ou entretenimento digital. No entanto, enquanto navegas nos lençóis, Adrianus Warmenhoven recomenda que sigas estas medidas de segurança:

  • Atualiza as tuas aplicações e sistemas. Não adies as atualizações de software.
  • Faz a devida pesquisa. Nunca descarregues aplicações desconhecidas e lê sempre os termos de serviço.
  • Evita lojas de aplicações não oficiais. Há uma maior probabilidade de terem aplicações maliciosas.
  • Evita usar redes Wi-Fi desprotegidas. E utiliza sempre uma VPN quando o fizeres.
  • Está atento. Não cliques em ligações suspeitas e desconfia sempre de números desconhecidos. Se não tiveres a certeza de que a ligação é segura, pensa em usar uma ferramenta de verificação de hiperligações.
  • Usa uma VPN. As VPN encriptam os teus dados, protegendo-te de espiões de dados e hackers.
Sobre o autor

Fernando Costa

O Fernando é o diretor do InforGames. O seu primeiro computador foi o ZX Spectrum, e foi aqui que começou a interessar-se pelo mundo dos videojogos. Apesar de já ter jogado em várias plataformas, o PC continua a ser a sua plataforma de eleição. No que diz respeito a jogos, gosta de estratégia, corridas e luta.

O teu email não será publicado. Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.