Análise – Evil Dead The Game

15 visualizações
0

Evil Dead contou com vários filmes de sucesso e, para ser sincero, não vi nenhum, não só por não ter tempo, mas também por não ser o meu género de filmes. O que me levou a fazer um trabalho de casa extra para conhecer melhor o que iria encontrar. Sei que também foram lançados alguns jogos, mas nem todos tiveram grande sucesso.

Agora foi lançado mais um jogo, o Evil Dead: The Game, o qual tivemos a oportunidade de jogar.

Quando acedes ao jogo, vais deparar-te com um menu que conta apenas com dois modos. São eles: Sobrevivente vs. Demónio e Missões.

menuPara além dos modos existe também um tutorial. Este tutorial, serve para explicar o modo online – Sobrevivente vs. Demónio. Por esse motivo, encontra-se dividido em duas partes: o tutorial do Sobrevivente e o tutorial do Demónio Kandarian. O tutorial é bastante completo e explica tudo o que precisas de saber para conseguires ter sucesso no jogo.

Voltando aos modos de jogo. No modo Sobrevivente vs. Demónio, que é o mais interessante podes:

  • Jogar como um dos sobreviventes com mais 3 jogadores de qualquer parte do mundo, para derrotar o jogador que escolheu ser o demónio;
  • Jogar como um dos sobreviventes com mais 3 jogadores de qualquer parte do mundo, para derrotar um demónio controlado por IA;
  • Jogar como demónio e enfrentar 4 jogadores;
  • Jogar como um dos sobreviventes juntamente a mais 3 IA, para derrotar um Demónio também controlado por IA;
  • Criar uma sessão privada com mais amigos, na qual uns podem ser os sobreviventes e um deles o demónio, sendo que neste modo não precisas de ter 5 jogadores. Basta apenas 2, um para jogar como sobrevivente e outro como Demónio.

Apesar de o jogo ser mais virado para a componente multiplayer, num sistema bastante usado por outros jogos, o 4vs1, existe também a componente singleplayer. Aqui jogamos com Ash em diferentes momentos para realizar algumas missões e pelo meio vamos enfrentar muitos, mas mesmo muitos demónios, por isso não baixes a guarda, porque serás logo atacado.

Quando concluímos as missões (que são 6 de momento), seremos recompensados com diversos conteúdos, nomeadamente personagens e as The Knowby Tapes, as quais revelam mais informações sobre o universo de Evil Dead.

missoes recompensasJá na vertente principal do jogo, o 4vs1, o objetivo é unir forças com mais 3 jogadores para fechar o portal que liga a Terra ao Inferno. Aviso desde já que foi muito difícil encontrar alguém que jogue em equipa, pois só me deparei com jogadores que pouco ou nada fazem em prol da equipa, querendo sempre fazer o que lhes apetece sozinhos (ok no COD sofro do mesmo problema). Por isso mais vale jogar com os restantes membros da nossa equipa controlados pela IA, pois são muito mais úteis.

Continuando, para fechar o portal teremos de juntar três partes de um mapa, que quando juntos vão revelar a Kandarian Dagger e as páginas perdidas do livro dos mortos (Necronomicon). Pelo caminho vamos encontrar armas, bebidas para repor a energia, itens de cura e amuletos, que nos vão ajudar bastante na hora de enfrentar tudo o que é demónio que se encontram espalhados pelo mapa do jogo, também há vários carros espalhados pelo mapa, que nos vão ajudar a deslocarmo-nos mais rápido. Depois de reunirmos todas as “peças chave”, iremos enfrentar os “bosses” finais, os Dark Ones. Isto claro se jogarmos como sobreviventes.

Quando jogamos na pele de um dos 3 tipos de demónios presentes (Necromancer, Warlord ou Puppeteer), é necessário colocar os portais para invocar mais demónios, controlar árvores para atacar jogadores possuir objetos (como carros e caixas de upgrades) e até mesmo pessoas. Também poderemos nos materializar por breves momentos (pois aqui o nosso personagem move-se de forma invisível pelo mapa de jogo) para tentar impedir o grupo de Sobreviventes de cumprir o seu objetivo, fechar o portal entre a terra e o inferno.

Cada um dos sobreviventes possui habilidades únicas, importantes para que o jogador possa ter hipóteses de se safar aos horrores que vão aparecendo. Temos diversos “Ashs” de cada um dos filmes (incluindo a sua variante Evil Ash), bem como outros personagens, como Pablo Simom Bolivar (de Ash VS Evil Dead) ou ainda Lord Arthur (de Army of Darkness).

Cada personagem tem atribuída uma categoria (Leader, Warrior, Hunter e Support) e consoante a nossa escolha poderemos ter uma melhor habilidade de cura, mais resistência ao medo ou até um aumento dos ataques físicos. Convém referir que essas mesmas habilidades podem ser melhoradas de diversas formas através da arvore de habilidades de cada uma das categorias.

personagensÉ assim importante procurar a melhor estratégia e personagem que mais se adequam ao nosso estilo de jogo.

Existem algumas mecânicas de jogo que podiam ter sido trabalhadas, como por exemplo a condução dos carros que é um pouco difícil de controlar (consegui por o carro em cima do telhado) ou até mesmo a sensibilidade dos controlos quando nos virarmos (esquerda/direita) ou fazemos mira com as armas (existe a opção de sensibilidade da mira, assim como da camara na 1ª e 3ª pessoa, mas parece que não funciona bem, também notei que apesar das definições ficarem gravadas, ao sair e voltar a entrar no jogo a imagem fica sempre cortada, o que me obriga a ir às definições sempre que vou jogar. Outro aspeto que pode ser “melhorado” no futuro, é o modo singleplayer, pois peca por ser muito curto.

em cima do telhadoResumindo:

Evil Dead: The Game tem um grande potencial, e foi claramente pensado para os fãs da franquia de Sam Raimi, mas carece, no entanto, de atualizações que criem uma experiência multiplayer mais gratificante e da introdução de mais conteúdos na componente singleplayer.

O código para analise de Evil Dead: The Game foi oferecido gentilmente pela Saber Interactive.

7.5

Bom

Nota final

Gostamos
  • Ambientação
  • Graficamente muito apelativo
  • Vários elementos icónicos dos filmes presentes no jogo
Não gostamos
  • Singleplayer muito curto
  • Difícil de jogar em equipa
  • Movimento das personagens podia ser melhor
Sobre o autor

Fernando Costa

É o fundador da InforGames. Começou a ter interesse pelos videojogos através do Spectrum +2 128k. Gosta de jogos de Estratégia, Corridas e Luta. Apesar de já ter jogado em várias consolas, o PC continua a ser a sua plataforma de eleição!

O teu endereço de email não será revelado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.