Quase 25% dos utilizadores de Internet do Reino Unido possuem dispositivos domésticos inteligentes, o dobro da média global

40 visualizações
0

Os dispositivos domésticos inteligentes continuam a atrair os consumidores em todo o mundo, pois apresentam várias vantagens, ao mesmo tempo que atendem a diferentes categorias.

De acordo com dados adquiridos pela Finbold, 24,9% dos utilizadores de internet do Reino Unido possuem dispositivos domésticos inteligentes. O número é quase o dobro da média global de 13,5% no segundo trimestre de 2021. A Irlanda está entre os países acima da média global, com 22,2% ocupando o segundo lugar no geral. A participação do Canadá e dos Estados Unidos é de 21,2% e 20,2%, respetivamente.

Outros países notáveis acima da média mundial incluem a China (18,6%), Turquia (17,1%), Itália (17%), Espanha (17%), e Vietname (17%)

Noutros lugares, os Países Baixos, a Índia e o México têm uma quota de propriedade de dispositivos domésticos inteligentes inferior à média global de 13,4%, 13,1%, e 13,1%, respetivamente.

A mudança do comportamento do consumidor impulsiona a adoção de dispositivos domésticos inteligentes.

O relatório destaca alguns dos fatores que influenciam a distribuição da propriedade dos dispositivos domésticos inteligentes a nível mundial. De acordo com o relatório de investigação:

“Além disso, a quota de propriedade surge no meio da mudança do comportamento dos consumidores, principalmente devido aos efeitos da pandemia do coronavírus. Em meio à crise sanitária, a maioria das pessoas gastou dinheiro em serviços e dispositivos relacionados com a tecnologia. Com a maioria das pessoas alojadas em casa, os dispositivos domésticos inteligentes funcionaram como facilitadores para uma estadia tranquila em casa, no meio da crise”.

Em geral, a posse de dispositivos domésticos inteligentes é principalmente motivada pelo desejo de melhorar o estilo de vida dos consumidores, conveniência, conforto, e paz de espírito.

Contudo, a adopção dos dispositivos está a enfrentar vários desafios como as preocupações relacionadas com a privacidade dos dados e o aspeto dos preços. Atualmente, os dispositivos inteligentes são considerados dispendiosos, mantendo possíveis clientes afastados.

Sobre o autor

Sara Fernandes

A Sara também faz parte da fundação da InforGames. Começou a jogar videojogos com o irmão. Gosta de jogos de Puzzles e simulação.

O teu endereço de email não será revelado. Campos obrigatórios estão marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.