Utilização de IA no trabalho dispara 23% mas profissionais não sabem usá-la para ganhos de produtividade

Utilização de IA no trabalho dispara 23% mas profissionais não sabem usá-la para ganhos de produtividade

11 Visualizações
0

A Salesforce, CRM de Inteligência Artificial (IA), acaba de divulgar o mais recente relatório Slack Workforce Index, revelando que a utilização da IA no local de trabalho já subiu 23% desde o início deste ano, com quase metade (47%) dos profissionais de escritório inquiridos a dizerem-se entusiasmados com o uso da tecnologia no fluxo de trabalho diário (mais 9% desde janeiro).

O estudo agora apresentado revela ainda que, sem a formação e acompanhamento necessários, os colaboradores de empresas não serão capazes de capitalizar toda a eficiência que a IA permite. Em vez de alocarem o tempo que poupam com o uso da IA em tarefas mais estratégicas e de valor acrescentando, os profissionais estão a gastar 37% mais tempo em tarefas de rotina e administrativas.

Com 82% dos profissionais em risco de burnout este ano, a IA poderá terminar com os dias de trabalho intensivo. No entanto, sem a resolução de questões de formação e confiança na tecnologia, os benefícios da IA não serão desbloqueados. O novo relatório, agora disponível, demonstra que os profissionais planeiam dedicar o tempo livre que a tecnologia lhes deu, nas tarefas que deveriam estar a delegar na IA, relegando tarefas de valor acrescentado como a inovação, criatividade e desenvolvimento profissional para o fim da lista. Mas o estudo demonstra também que aqueles que receberam a devida formação para uma utilização correta da IA, têm 19 vezes maior probabilidade de reportar ganhos de produtividade.

Estas são as principais conclusões do relatório:

Trabalhadores de escritório sofrem com tarefas repetitivas e burnout: Os profissionais em causa estão a sentir desgaste e relatam passar grande parte dos seus dias em tarefas sem valor acrescentado. A maioria dos trabalhadores (64%) tem sintomas de burnout uma vez por mês, ou mais.

  • Cerca de um terço dos trabalhadores afirmam estar regularmente stressados.
  • 30% dos inquiridos não sentem atração pelo seu trabalho.
  • Os profissionais inquiridos passam um terço do seu dia em tarefas que “não são significativas para o seu trabalho”, como reuniões desnecessárias, e-mails de baixo valor e excesso de burocracia ou inserção de dados.

O entusiasmo e a adoção de IA estão a aumentar: Os trabalhadores estão a abraçar cada vez mais a IA e estão cada vez mais entusiasmados em utilizá-la no seu trabalho diário.

  • O uso de IA entre todos os trabalhadores de escritório aumentou 23% desde janeiro e 60% desde setembro.
  • Quase metade (47%) dos trabalhadores de escritório a nível global expressam entusiasmo em relação à IA realizar tarefas dos seus trabalhos.

Apesar da promessa da IA em reduzir o trabalho repetitivo, os trabalhadores continuam a dar prioridade a tarefas administrativas em detrimento de trabalho de alto valor: Quando questionados sobre como planeiam utilizar o tempo poupado pela IA — a resposta não foi promissora.

  • A principal atividade que os trabalhadores esperam priorizar com o tempo poupado pela IA são as tarefas administrativas.
  • Tarefas de alto valor, como inovação, criação e networking com colegas ficaram mais abaixo na lista. De facto, é provável que os trabalhadores gastem 37% mais do seu tempo em trabalho administrativo do que nestas tarefas de alto valor.

Falta de confiança e conhecimento impedem os trabalhadores de tirar pleno proveito da IA: Os profissionais estão entusiasmados com a IA, mas ainda não confiam totalmente na tecnologia para que esta assuma tarefas no trabalho.

  • 93% dos trabalhadores de escritório a nível global não consideram os resultados da IA totalmente confiáveis para tarefas relacionadas com o trabalho.
  • Apenas 15% dos trabalhadores concorda plenamente que têm a formação necessária para usar a IA de forma eficaz.

As empresas devem capacitar os seus trabalhadores para a utilização da IA de forma eficaz: Para que os profissionais confiem e deleguem tarefas à IA, as empresas devem formar os seus trabalhadores para que consigam tirar dela o maior partido.

  • Orientação: Os trabalhadores de escritório em empresas que estabeleceram permissões para o uso de IA têm quase 6 vezes maior probabilidade de terem experimentado ferramentas de IA.
  • Formação: Aqueles que são formados para usar a IA têm até 19 vezes maior probabilidade de relatar que a IA está a melhorar a sua produtividade.
Sobre o autor

Fernando Costa

O Fernando é o diretor do InforGames. O seu primeiro computador foi o ZX Spectrum, e foi aqui que começou a interessar-se pelo mundo dos videojogos. Apesar de já ter jogado em várias plataformas, o PC continua a ser a sua plataforma de eleição. No que diz respeito a jogos, gosta de estratégia, corridas e luta.

O teu email não será publicado. Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.