De seguidores a consumidores:  42% dos portugueses compra depois de ver nas redes sociais, mas processo termina maioritariamente em loja

De seguidores a consumidores: 42% dos portugueses compra depois de ver nas redes sociais, mas processo termina maioritariamente em loja

24 Visualizações
0

A Klarna, plataforma de compras e pagamentos a nível global, acaba de lançar a mais recente edição do Shopping Pulse, que avalia as principais tendências de compra de mais de 19.000 consumidores de 18 países a nível mundial, incluindo Portugal. O relatório indica que quase metade dos portugueses adquire produtos que viu nas redes sociais (42%), embora a maioria ainda o prefira comprar em loja.

As experiências de compra estão a sofrer alterações entre os consumidores e, nos últimos três anos, os canais online registaram um crescimento entre a preferência dos consumidores, com 26% dos portugueses a fazer compras online uma vez por semana, mais 4% que no último trimestre de 2022. Em Portugal, os canais online já conquistaram a preferência da Gen Z (36%) e dos Millennials (36%). Estes dois grupos têm mostrado uma preferência crescente pela experiência de compras online, impulsionada pela conveniência, variedade de produtos e facilidade de comparação de preços, com 35% dos Millennials a comprar online pelo menos uma vez por semana, mais 5% que no ultimo trimestre do ano passado.

Além disso, também a Geração X e os Baby Boomers começam a revelar uma migração para os canais online, à medida que vão estando mais familiarizados com os avanços tecnológicos, embora ainda demonstrem uma preferência pela loja física.

O panorama global mostra uma fase de equilíbrio entre os consumidores. Em metade dos países analisados, há já uma preferência pela compra online mas, a outra metade, ainda prevalece o método de compra mais tradicional. Os consumidores portugueses enquadram-se na metade mais tradicional, apesar de as duas gerações mais jovens já mostrarem preferência pelas plataformas de e-commerce.

O impacto do smartphone e das redes sociais

Os consumidores, de forma global, preferem 2x mais iniciar a sua jornada de compra em redes sociais do que em publicações impressas. De facto, o estudo da Klarna indica que 35% dos inquiridos assume já ter comprado um produto após ter visto o mesmo nas redes sociais. Um cenário ultrapassado pelos consumidores portugueses, onde 41% da amostra admite tê-lo feito. As mulheres portuguesas (42%) e a Gen Z (48%) são os que mais se enquadram neste tipo de comportamento. Enquanto 59% dos inquiridos assume ter comprado um produto diretamente na rede social em que viu o mesmo, apenas 40% dos portugueses afirma o mesmo.

Quando compram através das redes sociais, no geral, os consumidores preferem fazê-lo na página da própria marca, seguindo-se páginas de retalhistas e, por fim, diretamente na página de um/a influencer digital. Os consumidores portugueses acompanham o cenário global, embora a geração Z e o público feminino sejam os que mais compram através da página de um influenciador digital.

Quanto às plataformas onde os consumidores mais compram globalmente, o Facebook, o Instagram e o Youtube estão no pódio, com o TikTok a ganhar cada vez mais expressão. Em Portugal, o Instagram é a plataforma preferida dos consumidores (57%), com a GenZ (75%), Millennials (68%) e mulheres (60%) a preferirem esta rede social. Homens (62%) , GenXers (59%) e Baby Boomers (67%) ainda preferem comprar no Facebook. A Gen Z é a que menos compra no Facebook (21%) e a que mais compra no Tik Tok (33%).

Se, até ao trimestre passado, os consumidores ainda preferiam comprar online através do computador, o cenário hoje é um pouco diferente. A maioria dos portugueses (53%) já faz as suas compras através do seu smartphone, sendo que a percentagem de pessoas que compram online através de um computador desceu para 43%.

A evolução da experiência de compra

A experiência de compra ainda é considerada pelos portugueses mais agradável em loja física. No entanto, vemos que cada vez mais portugueses fariam todas as suas compras online, se tivessem de escolher. No segundo trimestre deste ano, 41% preferia comprar apenas online, mais 3% que no final de 2022.

Para melhorar processos entre a experiência de compra digital e em loja, a grande maioria dos consumidores acharia útil poder falar com funcionários ou especialistas em produtos, quando fazem compras online. Em Portugal, esta preferência é apontada por 91% dos consumidores.

Chegada a hora de pagar, os consumidores portugueses acompanham o comportamento global, dando preferência ao método Buy Now Pay Later (61%) em detrimento do cartão de crédito (20%).

Sobre o autor

Fernando Costa

O Fernando é o diretor do InforGames. O seu primeiro computador foi o ZX Spectrum, e foi aqui que começou a interessar-se pelo mundo dos videojogos. Apesar de já ter jogado em várias plataformas, o PC continua a ser a sua plataforma de eleição. No que diz respeito a jogos, gosta de estratégia, corridas e luta.

O teu email não será publicado. Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.