Análise – Lenovo Legion GO

Análise – Lenovo Legion GO

39 Visualizações
0

O ano passado, tive o prazer de testar a consola portátil da ASUS, a ROG Ally, agora chegou a vez de testar a consola lançada pela Lenovo, a Legion GO. Vê o que achei.

Especificações:

  • Dimensões: 210 mm x 131 mm x 20 mm (sem comandos) / 299 mm x 131 mm x 41 mm (com comandos)
  • Peso: 640 gramas (sem comandos) / 854 gramas (com comandos)

Ecrã

  • Tamanho: 8,8 polegadas

Plataforma

  • SO: Windows 11
  • CPU: AMD Ryzen Z1 Extreme
  • GPU: AMD Radeon Graphics (AMD RDNA3)

Memória

  • RAM16 GB LPDDR5X-7500

SSD

  • 512 GB ou 1 TB NVMe M.2 PCIe 4.0

Conexões

  • Wireless: Wi-Fi 6e
  • Bluetooth: 5.1
  • Áudio: Estéreo
  • Portas: 2 x USB-C 4.0, áudio 3,5mm, leitor cartão microSD

Unboxing:

Dentro da caixa, vais encontrar os habituais manuais, a consola dentro de uma bolsa e o carregador. Vê de seguida o unboxing da própria Lenovo à consola.

Design:

Quando se trata de lançamentos recentes de consolas portáteis para jogos em PC, a Lenovo Legion Go é uma das maiores que encontrarás. Tem 854 g e mede quase 30 cm de largura e 4,1 cm de espessura. Como tal, é também uma das menos portáteis. Não é um computador de mão que se possa transportar sem dificuldade, tanto devido ao seu tamanho como ao seu peso – especialmente se o quiseres proteger com a bolsa de transporte incluída, o que aumenta consideravelmente o seu volume.

No entanto, o tamanho grande tem um toque mais robusto e premium do que a Asus ROG Ally e a Steam Deck, que são mais plásticos ao toque. Isto faz com que a Legion Go pareça ser a consola que mais vale as várias centenas de euros que se tem de desembolsar por uma destas consolas.

Outro toque interessante, e que remete para a inspiração na Nintendo Switch que alimenta a Legion Go, é o seu grande suporte na parte de trás. Este abrange toda a largura da consola e é ideal para te ajudar a utilizar esta máquina a uma certa distância com os controlos destacados. No entanto, o suporte não é perfeito, faltando-lhe qualquer tipo de borracha na base para criar alguma fricção.

Relativamente às portas, é simples, com duas USB-C 4.0 e um leitor de cartões MicroSD. A primeira está dividida em uma na parte superior e outra na parte inferior, o que significa que podes carregar confortavelmente o dispositivo a partir da parte superior quando está apoiada no seu suporte. O USB-4 também significa que podes ligar facilmente este dispositivo a monitores compatíveis para tirares partido de um ecrã maior.

Ecrã:

A Lenovo Legion Go não consegue tirar partido das suas impressionantes especificações de ecrã, com a maioria dos jogos a ficarem muito aquém da resolução QHD+ se quisermos uma boa margem de manobra para um bom desempenho. Como tal, o painel de 120 Hz também é largamente desperdiçado, para além dos títulos de baixa exigência.

Apesar disso, o grande ecrã IPS de 8,8 polegadas é o meu aspeto preferido desta consola, mesmo que não consiga encher todo o painel com píxeis vívidos. O seu tamanho coloca esta consola noutro nível em termos de sensação de uma verdadeira experiência de jogo, em comparação com o ecrã de 7 polegadas do Asus ROG Ally, que não satisfaz com jogos com visuais impressionantes.

O imponente ecrã do Legion Go levou-me a ter algumas das sessões mais envolventes que tive em qualquer uma das unidades portáteis que testei. O ecrã também é bastante luminoso, com a Lenovo a anunciar um máximo de 500 nits de brilho.

Sejamos honestos, é provável que utilizes esta consola com auscultadores com fios ou Bluetooth na maior parte das tuas sessões de jogo, mas, nas ocasiões em que não o fizeres, as colunas são perfeitamente aceitáveis se estiveres num ambiente silencioso. Se valorizas um som mais envolvente para combinar com o ecrã envolvente, não o conseguirás fazer, uma vez que o som não tem uma profundidade significativa, com poucos graves.

legion go

Performance:

Se há uma coisa em que a Lenovo Legion GO é perfeita, é o desempenho bruto, e eu estava à espera disso, considerando que está equipado com um Ryzen Z1 Extreme. A potente APU da AMD já provou o seu valor quando a Asus ROG Ally fez a sua estreia, proporcionando taxas de fotogramas mais elevadas do que o chip Phoenix da Steam Deck e outras alternativas portáteis.

Para testar a Legion GO, utilizei os mesmos jogos que utilizo para testar todos os PCs que analiso. No entanto, em vez de aumentar as definições para ultra, decidi manter as definições baixas, uma vez que é o que naturalmente optaria quando utilizasse outra unidade portátil. Também aumentei as definições de TDP do dispositivo portátil até ao máximo de 30W para garantir que a APU tem toda a potência à sua disposição.

No entanto, a verdade é que, para obter o melhor desempenho, a Legion Go é mais confortável abaixo dos 1080p, especialmente se não quiseres subir de nível para o modo Desempenho, o que leva a uma redução da já curta duração da bateria. No entanto, se desejares FHD+, prepara-te para optar por definições médias a baixas para uma experiência perfeita. A resolução QHD+ está praticamente fora de questão, mas consegui tirar algum partido dela no Rocket League.

É refrescante o facto de, independentemente do modo, o chassis desta consola nunca ficar desconfortavelmente quente, mas as ventoinhas podem ficar bastante barulhentas nos modos Performance e “Full Fan”.

Software

Não gostei do tempo que passei com esta consola portátil com o Windows 11. Mesmo com a ajuda adicional de um trackpad, achei que navegar no Windows 11 era um grande incómodo. Simplesmente não foi feito para uma interação tátil perfeita. O desempenho também foi inconsistente em todas as áreas. Tive vários problemas, janelas de tamanho estranho em vários jogos ou situações em que os comandos não eram reconhecidos, principalmente no COD.

A Lenovo incluiu o software Legion Space para tentar criar um ambiente dentro do Windows 11, para o tornar mais parecido com uma consola/Steam Deck, mas achei que a sua utilização era difícil. As sobreposições oferecidas pelo software da Lenovo também demoravam muito a aparecer. E, no geral, achei que o Asus ROG Armoury Crate SE no seu dispositivo portátil era uma experiência muito mais suave e fácil de navegar, apesar de também ter apresentado problemsa.

As vantagens do Windows são o acesso mais fácil a vários lançadores de jogos, como o Xbox, o Nvidia GeForce Now, o Epic Games Launcher e muitos outros. E, se preferires, o Legion Go pode ser utilizado como um prático computador portátil, que pode ser melhorado quando simplesmente ligado a um monitor através da sua ligação USB-4.

legion go

Bateria

Quando se está a executar os melhores e mais recentes jogos de forma nativa num dispositivo tão pequeno, não se espera uma longa duração da bateria. Os computadores portáteis para jogos que são várias vezes maiores oferecem muito pouco em termos de duração da bateria durante os jogos.

A Lenovo Legion Go fica mais ou menos onde eu esperava, nada de preocupante e nada de especial. A bateria de 49,Wh dura cerca de 2 horas em média, caindo rapidamente abaixo desse valor à medida que o utilizador força o dispositivo. Se entrarmos no modo de desempenho, podemos contar com cerca de uma hora e meia, e por vezes menos. Em alternativa, o modo silencioso, mais eficiente, permite-te até meia hora extra.

Também há recarga rápida, com o que a Lenovo chama de Super Rapid Charge. O carregador de 65 W incluído conseguiu carregar a consola de 0-100% em cerca de uma hora.

Resumindo:

A Lenovo Legion Go tenta trazer algo diferente. Mas isso leva ao seu maior ponto de venda e também ao que pode desanimar muita gente – o seu tamanho. O ecrã é maravilhosamente envolvente e luminoso, mas conduz a uma consola que requer uma verdadeira reflexão para ser utilizada de forma portátil. Não é uma consola que se leva diariamente connosco e que se pode usar por impulso.

O desempenho nos jogos e a duração da bateria conseguem acompanhar o ritmo da sua principal rival, a Asus ROG Ally, mas a implementação do software é muitas vezes complicada.

Os comandos da Legion Go também representam duas faces. A sua natureza destacável acrescenta uma nova dimensão a esta portátil, permitindo-te sentares-te e desfrutar do brilho do grande ecrã. Os botões adicionais e o modo FPS também são inclusões inteligentes. No entanto, a forma como se encaixam e desencaixam é estranha, e os botões em si não são tão satisfatórios de interagir como os da ROG Ally.

A Lenovo merece crédito por se ter destacado da multidão, mas ainda tem de aperfeiçoar alguns aspetos básicos antes de vencer a concorrência.

A Legion GO, está disponível por €799 euros.

8.5

Nota final

Pros
  • Ecrã grande e envolvente
  • Comandos amovíveis
  • Desempenho decente durante os jogos
Cons
  • Bateria dura pouco
  • Ventoinhas barulhentas
  • Grande e pesada
Sobre o autor

Fernando Costa

O Fernando é o diretor do InforGames. O seu primeiro computador foi o ZX Spectrum, e foi aqui que começou a interessar-se pelo mundo dos videojogos. Apesar de já ter jogado em várias plataformas, o PC continua a ser a sua plataforma de eleição. No que diz respeito a jogos, gosta de estratégia, corridas e luta.

O teu email não será publicado. Os campos de preenchimento obrigatório estão assinalados*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.